A relação mangá, esporte e o povo japonês.

A RELAÇÃO MANGÁ, ESPORTE E O POVO JAPONÊS.

Olá, Zoners! Estou de volta para mais um artigo. Voltarei à frequência normal no site, postando artigos e notícias. Antes de mais nada gostaria de pedir desculpas aos leitores pelo sumiço, pois tive alguns problemas e precisei me ausentar do site durante esses meses. Agradeço ao Rômulo “Chefinho” (hehe) pela paciência. Vamos ao que interessa.

O artigo de hoje servirá de introdução a uma série de postagens que farei no Japan Zone sobre mangás esportivos. Além de termos fantásticas histórias, acredito que ela sirva de inspiração, de um “ponto de partida” para a pessoa começar a praticar alguma coisa. Afinal, “Esporte é vida”. E eu, como um esportista amador (Não dos melhores) naturalmente me interessaria por títulos assim.

Para tanto quero a ajuda de vocês leitores para o nome dessa coluna. Deixem sugestões na caixinha de comentários.

Qual clube você escolheria?

Quem lê mangás de temas esportivos percebe uma coisa em comum logo de cara: os personagens são “coagidos” a entrar em algum clube assim que entram no ensino médio. Em algumas publicações vemos que os calouros são abordados logo no primeiro dia, logo na entrada da escola! Eles são convidados a entrar em todo tipo de clube, de literatura a esportes. Mas como o nosso foco aqui são os esportes, esqueceremos os outros clubes.

O primeiro dia de aula é sempre tenso…

Fazendo uma boa pesquisa, percebi que a partir do terceiro ano do primário (Lembrando que o sistema escolar japonês é diferente do nosso no que diz respeito à contagem de séries) é oferecido ao aluno as atividades esportivas – mas não obrigatórias – e que somente a partir do primeiro ano ginasial é que o pequeno japonês é obrigado a escolher alguma coisa. Para um entendimento mais fácil, elencarei aqui como é o sistema escolar japonês.

Após a segunda guerra houve uma alteração no sistema educacional, onde tínhamos o esquema “6-5-3-3” para o “6-3-3-4”, onde temos seis anos de ensino fundamental, 3 do ensino médio, 3 de colegial e 4 na universidade.

Youchien, o equivalente ao nosso jardim de infância. 1 a 3 anos;
Shougaku, uma espécie de primeira parte do fundamental: 6 anos;
Chuugaku, a segunda parte do fundamental: 3 anos;
Koukou, nosso ensino médio: 3 anos;
Daigaku, a Universidade. Cerca de 4 anos.

Eu quero jogar!

Assim como parte da cultura deles, os mangás esportivos serviram (e servem até hoje) de empurrão para que os japoneses se tornem profissionais em um determinado esporte. Um dos casos mais emblemáticos é o do ex-jogador de futebol Hidetoshi Nakata, com passagens por times importantes do futebol italiano, que uma vez disse que a maior inspiração [1] para ele se tornar jogador foi o mangá Captain Tsubasa (Super Campeões em terras tupiniquins). Não só ele, mas vários outros grandes craques do futebol japonês tiveram inspiração nas aventuras do outro craque (Esse sim) Tsubasa Oozora.

Resolva todos os jogos fazendo gol de bicicleta.
Resolva todos os jogos fazendo gol de bicicleta.

Esporte é vida!

Dentro desse sistema de escolha de um esporte no período escolar, as crianças e adolescentes japoneses se dedicam aos treinos e competições em horários pós-escola e finais de semana. A competição entre escolas é intensa! Algumas escolas são verdadeiras máquinas esportivas, ganhando os torneios interescolares (Campeonato Nacional) muitas vezes.

O mais importante de tudo é que o esporte passa disciplina. E como estamos falando de japoneses, os caras são mais que disciplinados.

Como já dito, muitos se inspiraram em mangás para se tornarem profissionais. Um bom exemplo é o mangá Slam Dunk (O favorito de quem escreve), uma verdadeira febre nos anos 90 e um dos mangás mais vendidos de todos os tempos. O boom do basquete deu uma boa expandida com os jogos do Shohoku rumo ao intercolegial.

Uma coisa que ninguém pode reclamar é que falta esporte para retratar. Temos mangá de absolutamente tudo! De jogos de cartas à vôlei. Dos mangás famosos como Captain Tsubasa, Slam Dunk e The Prince of Tennis aos não tão famosos como Poker King, Aoi Tori no Shinwa e Age!

Existem mangás voltados para ação frenética, com jogos o tempo todo, o foco voltado para o protagonista, o time e outros que o esporte é apenas um pano de fundo e trata de relações humanas, como absolutamente todos os mangás do mestre Mitsuru Adachi.

O esqueleto básico de um mangá esportivo é composto por:

1 – Um clube de esporte que tem o sonho de chegar ao campeonato nacional japonês daquele desporto. Raramente um mangá aborda algum campeonato acima, de nível continental, mundial etc. A maioria das obras trata de um time azarão, que tem jogadores fracos e que aos poucos bons nomes vão chegando. Outros já mostram que o time protagonista é forte na região e eles precisam manter a hegemonia. Exemplos: Captain Tsubasa e Inazuma Eleven (Clube fraco), The Prince of Tennis (Clube forte).

Primeira formação da Raimon Eleven. Os pernas de pau com exceção do Gouenji (O Super Saiyajin ali, de pé)

Primeira formação da Raimon Eleven (Inazuma Eleven). Os pernas de pau – que melhoram com o tempo – com exceção do Gouenji, o gênio (O Super Saiyajin ali, de pé).

 

2 – O protagonista normalmente é um gênio esportivo, fazendo com facilidade o que os outros demoraram anos de treino para fazer. Ou em casos de o protagonista não saber nada e ir melhorando com o tempo. Exemplos: Echizen Ryoma (Gênio), Hanamichi Sakuragi (Sabe nada).

Exemplo de equipe forte desde o começo. Seigaku Tennis Club (Prince of Tennis)
Exemplo de equipe forte desde o começo. Seigaku Tennis Club (Prince of Tennis)

3 – O Rival. Na maioria das histórias há um rival para o protagonista, alguém que inconscientemente o força a melhorar, pois ele é sempre melhor do que o herói em praticamente 90% da história. Nesse aspecto os rivais sempre tem aquele clichê de “Bad Boy”, o bonitão, que sempre arrasta multidões de garotas apaixonadas por eles. Os rivais tem um talento natural para o jogo. Exemplo: Kaede Rukawa (Slam Dunk).

4 – O time super forte que tem gênios em todas as áreas (ou posições). Normalmente é o desafio final. Esse time esmaga quem vem pelo caminho e ganha o Nacional com constância.

Intervalo!

Com essa receita de bolo básica os autores vão desenvolvendo suas obras fazendo tanto o time quanto os jogadores evoluírem. É claro que em obras em que se tem de abordar muitos personagens, naturalmente não temos como desenvolver bem alguns deles e muitos ficam relegados em segundo plano.

Após essa pequena introdução me despeço e fiquem ligados, pois logo teremos nossa primeira recomendação esportiva aqui na Japan Zone. E por favor, deixem comentários, sugestões, críticas e elogios na caixinha de comentários, além do título para a coluna.

Até logo!

Fontes e créditos:
Tofugu.com (Em Inglês)
Goal.com (Em Inglês)
Fm-base.co.uk (Em Inglês)
Stevenlebron.com (Em Inglês)
Aprendendojapones.com
Culturajaponesa.com.br
Japaoemfoco.com