• Publicado em 05.01.2015
  • Por Pedro Henrique Leão

Vamos falar de animes e mangás seinen?

Mangás adultos ou demografia Seinen, podem não ser os mais populares entre os otakus, isso significa que você deve ignorá-los.

gantz

Gantz (ガンツ)

O gênero demográfico mais popular de mangá/anime no Brasil, e acredito que, no mundo é o Shounen (少年). Neste escopo voltado para um audiência de garotos com idade entre 10 e 18 anos estão inseridos títulos de séries que fizemos programas especiais como Dragon Ball (Zonecast#6 ), Naruto (Zonecast#12) ou ainda o grande ganhador da enquete Japan Zone dos 50 melhores animes: Cavaleiros do Zodíaco . As séries deste gênero são geralmente recheadas de muita ação e porradaria, tratando de temas como amizade e companheirismo.

Mas e quando isso tudo enjoa?

Quando comecei a assistir animes (e sequer sabia o que eram animes), mesmo assistindo a tudo que passava na televisão, minha preferência era pelo shounen, afinal quem da minha época não vibrou na Batalha das Doze Casas ou nos infinitos cinco minutos de Namekusei? Impossível não se emocionar com todos esses momentos.

Porém a idade foi chegando, e já lá na casa dos 20 anos, já não achava as séries novas tão interessantes e ouso dizer que considerava a grande maioria repetitiva.

A partir desse momento comecei a me interessar por outro tipo gênero: o Seinen (青年), um gênero demográfico voltado para rapazes de 17 anos em diante.

Vagabond

Vagabond (バガボンド)

 

O que é seinen?

Diferente do shounen, que é predominantemente focado em ação e lutas (sejam corpo a corpo, monstrinhos, cartas ou beyblades :P) o seinen não segue um padrão. Cada estória segue de uma forma, podendo tratar de esportes, cyberpunk, artes marciais, negócios, games e até mesmo erótico, sendo geralmente melhor trabalhada e desenvolvida que as séries shounen. Alguns exemplos de séries seinen são: Vagabond, Berserk, Ghost in the Shell e o aclamado Akira.

Quando assisti  Akira eu não sabia nem o que era anime, quanto mais gêneros, então posso dizer que a série que me fez tomar gosto por seinen foi Vagabond, de Takehiko Inoue, publicado pela Conrad em 2001, fiquei fascinado pelo mangá inspirado no romance sobre a vida de Miyamoto Musashi, tanto que acabei lendo os livros (e recomendo fortemente que você leia também).

Outro título que reforçou mais que eu queria era ler mangá “para adulto” foi Gantz, de Hiroya Oku, que nos mostra que George R. R. Martin não está sozinho no mundo quando o assunto é matar personagens.

Entre outras obras que posso citar são: Eden – It’s an Endless World!, MPD Psycho, 20th Century Boys, Monster, Mugen no Juunen (Blade – A Lâmina do Imortal), Monster, entre outros…

Gantz

Gantz (ガンツ)

 

O que vai ser?

Enfim, mesmo tendo sido um daqueles fanáticos por anime e mangá quando era mais novo, a ponto de discutir com as pessoas por causa disso, hoje sinto vontade de conversar a respeito disso de forma mais madura (é, to ficando velho…) e conversando com o Rômulo, ele me deu essa oportunidade, junto da galera do Japan Zone (site que vi nascer e já era fã) de escrever sobre isso e quem sabe conhecer mais pessoas que curtam essa vertente.

Um grande abraço e até a próxima!